A auto-biografia de uma adolescente que se tornou mulher e que conta a todos a sua vida promiscua desde que descobriu essa coisa tão boa que é o SEXO. ESTE BLOG NÃO É ACONSELHÁVEL A PESSOAS COM MENTE RETRÓGRADA OU RACISTAS

Comenta
14
Abr 10

 

 

Olá

 

Para quem pensava que o blog estava morto, ainda não foi desta que ele entregou a alma ao criador(a) :)

 

Não tenho tido muitos assuntos de índole sexual da minha vida para contar, para contar trivialidades achei melhor não escrever nada ou seja tenho assentado estes últimos meses, porque tive uma relação estável com o Miguel (meu companheiro actual), os tempos de loucuras ficaram para trás (pelo menos pensava eu).

 

Vamos ao que interessa (pelo menos é para isto que vcs cá vem, hehehe), à cerca de 3 meses veio estagiar um rapaz italiano para a empresa que estou a trabalhar (o Paolo), ele ficou a trabalhar no sector pelo qual sou a responsável, e como tal passamos muitas horas juntos, tal como outros que por cá já passaram tentamos ser o mais hospitaleiros possível, no fim do trabalho tento integrá-lo no estilo de vida dos lisboetas (tal como fiz com outros e outra por qual eu fui a orientadora), saímos á noite e nos fins de semana mostrei-lhe os cantos da nossa capital, o Paolo é uma pessoa interessante cabelos compridos negros uns olhos verdes lindos e um corpo atlético bem cuidado, posso dizer que no inicio não mexeu comigo apesar de o achar “comestível” :D talvez porque estava muito ligada ao Miguel, nesses primeiros tempos a maior parte das vezes saímos juntos com o Miguel, só ao fim da tarde praticamente quando o convidava para beber um café é que estava só com ele.

 

Nos primeiros tempos o Paolo era uma pessoa que se mostrava muito reservada e muito respeitadora, desinibindo-se cada vez mais à medida em que se foi identificando com o Miguel e se tornaram bons amigos. O miguel é do estilo bon vivant, conheci-o na noite numa das discotecas que ele é sócio, e sempre foi um playboy que tive de domar acho que não totalmente mas pelo menos a um nível aceitável, mas tenho a consciência que no meio em que ele vive cheio de mulheres bonitas à volta, já deve ter pulado a cerca, mas sinceramente não me importo muito desde que ele no fim esteja comigo e que não passem de aventuras, tá-se bem (mas não tenho a certeza que algo tenha acontecido, mas também não passo o dia a pensar nisso).

 

O Paolo rapidamente se integrou no meio nocturno passando quase todas as noites na discoteca com o Miguel, mesmo que o Miguel não me tivesse dito, bastava olhar para os olhos dele todas as manhãs, sei perfeitamente o que são olhos de farra não tenha já eu passado por essa vida lol, mas tudo bem, ele no emprego nunca mostrou que isso afectasse o seu desempenho na empresa.

A nossa relação tornou-se cada vez mais intima devido ao ligamento com o Miguel, muitas vezes ao fim de semana dormia na “nossa” casa no Estoril (a casa é minha mas enquanto estiver com o miguel é também dele, porque durante a semana dormimos no apartamento dele em Lisboa que fica mais perto da empresa), ou seja era como se fosse mais um da família, inclusivamente de manhã deparava-me com engates que ele trazia para passar a noite, e costumava brincar com ele e dizia-lhe ao ouvido que devia estar muito cansado e ele sempre a disfarçar (como se eu não visse) dizia porquê Suzy? A conduzires um Ferrari toda a noite deve ser cansativo (realmente era com cada mulher que ele engatava que até eu ficava com inveja de ser como elas) um homem daqueles devia ser a atenção do publico feminino, quando ele usava o cabelo solto e barba por fazer até eu olhava principalmente quando o via sair do banho só com a toalha enrolada hehehe,

 

Tudo corria bem até á umas semanas atrás, uma noite que eu estava cansada e queria me vir embora da discoteca mais cedo e aí o Miguel pediu ao Paolo para me vir levar a casa no carro dele porque não levei o meu, nunca tinha notado o interesse dele em mim, mas naquela viagem de regresso o Paolo começou a insinuar-se a mim, fiquei muito espantada porque estava longe de pensar que eu o atraía, não o afastei não sei porquê e continuei a dar-lhe bola e ele cada vez mais a sentir-se mais confiante e eu mais louca só me lembro de dizer para mim própria – Suzy vê lá onde te metes ganha juízo – ele em vez de ir directo a casa foi pela marginal e estacionou o carro numa praia muito conhecida aquela hora da noite pelos casais que vão para ali para a marmelada dentro do carro, e começou com a conversa que já há muito tempo que eu lhe despertei interesse blá blá blá e eu sem dizer uma palavra, até que disse que a única coisa que o travava era o Miguel, e aí eu disse mas o Miguel continua a existir e ele disse que tinha pena mas já não aguentava mais (mesmo cabrão a apunhalar o amigo), e começou a meter a mão na minha perna (naquela noite levava um saia bem curta que me deixava as pernas completamente á mostra) e eu não fiz nada para o impedir, isso na situação de engate quer dizer que a caça está caçada J, daí a um pouca estava-me a beijar sem que eu respondesse mas também não dei para trás, e deixei-me levar até que depois já era eu que o beijava e estivemos naquele marmelanço durante uma boa meia hora, aquele homem realmente era de levar uma mulher á loucura e ele sabia que era bom e usava-se disso, disse-lhe que tínhamos de ir se não o Miguel ia achar estranho, aí ele levou-me a casa sem dizer uma palavra, como era perto rapidamente estava em casa ao sair do carro disse-lhe que não podia acontecer outra vez aquilo, não me respondeu e puxou os meus cabelos para ele e pregou-me um grande linguado, sem dizer mais nada foi-se embora.

Fiquei essa noite sem dormir a pensar no que aconteceu e a esperar por ele, já era quase de manhã quando ele veio antes do Miguel, fui á janela para o ver e qual foi o meu espanto quando vi também sair uma morenaça agarrada a ele, fiquei completamente fodida, então aquele cabrão esteve a comer-me com a boca e no fim trás outra para lhe despejar os colhões, fiquei cheia de raiva e ao mesmo tempo pensava mas tu também não tens nada com ele se o deixas-te comer foi porque querias. Grrrrrrrrr.

 

Nesse domingo andei o dia todo de trombas e ele para me provocar ainda dizia á frente do Miguel que a Suzy devia estar mal disposta, e eu só com vontade de o esganar, sem ver que lhe estava a mostrar que estava caidinha por ele e com ciúmes.

Na segunda feira praticamente não o vi no trabalho e no fim do dia recebo uma sms para ir ter com ele no café que o levei uma vez, não respondi e estive um bocado a pensar se ia ou não até que me decidi ir a pensar para mim - não te deixes levar Suzy. Cheguei e ainda cheia de força comecei logo a dizer quem tu julgas que és para me enganares e no fim levares uma puta para a minha casa, ele cheio de calma disse – odeio esperar vê lá se para a próxima não me fazes esperar. Grrrrrrrr ainda fiquei com mais raiva e continuou, ficas mais sexy quando estás zangada sabias? E meteu-me a mão por cima dos ombros que tirei uma vez mas á segunda já deixei ficar,

 

- Fiquei toda a tarde a esperar pela hora de poder estar contigo a sós,

- Pois, pois, puta que fodeste ontem já não te quer é? - disse eu

- Eu queria era estar contigo mas não podia não era?

- Ou querias que o Miguel desconfiasse?

Mais umas tretas e já estava eu enrolada outra vez.

Comecei com grande força e acabei nos braços dele como dois namorados.

 

Nessa semana não aconteceu mais nada além de um marmelanço num jardim perto do chiado.

Na sexta feira seguinte disse ao Miguel que não me apetecia ir com ele e que ficava por casa ou ia ver os meus pais, já com a ideia que podia estar com o Paolo, fiquei indecisa se dava a entender ao paolo que tinha ficado em casa e estava só, mas resolvi não dizer nada, pouco tempo depois recebo uma sms a dizer se estava doente e se precisava de um enfermeiro, entrei na brincadeira e trocamos umas sms a dar a entender que poderia vir, depois de umas horas apareceu-me em casa, nessa noite estava completamente entregue a ele, conversamos e fiquei com ele no sofá sempre nos apalpanços e marmelada, ainda não tínhamos ido para a cama mas estava num clima de indecisão por um lado queria por outro não, e ele começou a forçar em foder mesmo ali no sofá e eu pela primeira vez comecei a não ceder, o que o levou a começar a ficar sem paciência talvez por estar habituado a ter tudo quanto quer e como quer, aí começamos a desatinar e saiu de casa a dizer que eu tinha que lhe pedir por favor para me foder, o que me levou a dizer que nunca iria dizer tal coisa, apesar de estar toda molhada e cheia de vontade, ainda tentei sair de casa e ir atrás dele para o chamar mas não consegui.

 

No sábado fui com o Miguel para a disco e passei a noite a ser provocada pelo paolo que andava a curtir com a morenaça que tinha visto da ultima vez, chegava a estar na pista no mel com ela e de vez enquanto quando agarrado a ela piscava me olho e fazia-me gestos com a boca a provocar, fiquei cada vez mais lixada, a meio da noite desapareceu e apareceu uma hora mais tarde, eu estava sentada no bar e ele passou por mim segredou-me ao ouvido:

 

- Esta pediu-me desculpa que não podia foder hoje porque estava com o período, e que me fazia um broche para me compensar, a próxima vais ser tu a implorar que te monte.

 

Nunca tinha sido tão ordinário mas mesmo assim não disse nada e deixei-o ir embora com um sorriso na boca e entre dentes lhe disse-lhe ao longe – querias :P

 

Como já vos disse antes tenho tendência para gajos porcos, que me fazem correr atrás deles, e este começou a dar-me volta a cabeça, pela atitude dele.

No domingo logo de manhã ainda estava o miguel ainda deitado arranjei uma desculpa, disse que tinha problemas na empresa e que tinha de ir resolver as coisas, (situação que acontecia frequentemente) e que poderia voltar muito tarde, deixei uma sms no telefone do paolo para quando acordar ir ter comigo á casa dos meus avós no Alentejo (visto que eles não estavam e agora passam mais tempo em Lisboa na casa dos meus pais) numa hora meti-me lá e tratei de saber do empregado que trata da casa, não fosse ele lá aparecer, ao fim da manhã recebo uma sms do paolo a dizer – diz as palavras mágicas, e respondi – POR FAVOR.

 

Fui almoçar e esperei por ele, como estava calor vesti só a parte de baixo do bikini e vesti uma túnica quase transparente deitei-me na espreguiçadeira e adormeci ao sol acordei com as mãos do paolo na minhas mamas e a beijar-me com carinho, adorei acordar assim ele olhou para mim e disse-me  

- isso é tudo para mim

- que achas?

- acho que sim

Beijamo-nos com tesão e disse-lhe

- Fode-me por favor, quero ser toda tua

- Eu sabia, linda menina. Disse-me ele com ar de convencido que adoro

Montou-me ali mesmo junto da piscina, ele não é muito dotado mas sabe usar o que têm muitoooooo bem. Nem me lembrei que alguém podia ouvir (sou muito ruidosa lol), foi mesmo com muita tesão.

 

Quando o sol começou a enfraquecer levei-o para o meu quarto que tenho lá em casa porque não me sinto bem a fazer amor na cama dos meus avós apesar de ser de casal e a minha ser de solteira. Comemo-nos de toda a maneira e feitio durante aquela tarde só havia intervalo para o cigarrnho lol, uma coisa que me deu muita tesão foi pedir por favor para lhe fazer uma mamada, tal como ele me disse na outra noite em relação à morenaça hehehe

Foi uma loucura que me deu muito prazer apesar de achar errado estar a encornar o Miguel, talvez por isso a nossa relação não tem andado bem depois desse dia, sei que é por culpa minha que temos discussões constantemente, talvez porque não tenho coragem de lhe dizer que depois do paolo já não me sinto tão agarrada a ele, eu sei que o paolo não me prometeu nada acho que foi mais uma gaja que passou pelos braços dele mas….

Paolo neste momento está em Itália a visitar a família, não sei se volta, eu pedi-lhe para voltar mas só em termos profissionais porque gostámos muito dele lá na empresa mas só por motivos profissionais OK………… J


16
Set 09

 

Na minha última estadia em S. Paulo, aconteceu-me um episódio que me fez pensar no labirinto perverso que é o meu cérebro. ;)

 

Nessa altura andava com um neguinho gostosão (o Xicão) e muito safado que conheci através de um amigo/amante comum.

 

Quando fui para SP contactei o pretinho com quem tive um caso aqui em Lisboa, e como estava só a viver num hotel, rapidamente me mudei para o apartamento dele (dava-me jeito tinha um bom amante ao meu dispor e até poupava nas despesas lol) como a vida não era só trabalho, saiamos muitas noites para os copos mais um amigo dele (o tal Xicão,) ele era mesmo o tipo de homem que eu gosto, bem negro, alto, corpo malhado nada de andar a babar como um cãozinho atrás de uma mulher (atitude que vcs homens tem muito e que me tira logo a tusa) e bem dominador (macho que é macho tem que ter pulso forte eu é que tenho de andar atrás dele ate que ele me queira lol sou bem submissa, que querem cada uma com a sua tara lol lol), ao fim de uma semana já estava eu a "trair" o meu pretinho, numa noite de  copos em que já estava meia bebida praticamente me ofereci a ele e curti com ele às escondidas do seu amigo.
Durante as três noites seguidas continuei com um e a curtir com outro, até que me fartei da situação e contei-lhe o sucedido, ele ficou magoado mais com o seu amigo do que comigo mesmo porque nunca lhe prometi nada e ambos sabíamos que aquela situação era temporária também não lhe fiz nenhuma jura de amor. Ao fim de poucos dias já estava outra vez a mudar de casa, perdi nesse aspecto porque onde estava era uma zona muito boa e o apartamento era 5 estrelas e a casa do xicão era mais modesta e sem luxos mas não me importei se me chateasse tinha condições para ir para o Hotel onde estava inicialmente mas tudo correu bem e lá continuei.

 

Ai se a toalha cai :)

 

O xicão é o tipo de homem que sabe que é bom e que tem as mulheres todas na mão, para ele só uma gaja como eu muito submissa que não fizesse uma cena de ciúmes sempre que estávamos com outras mulheres visto que sempre que saímos ele estava sempre rodeado de brasileiras todas boazonas e delambidas e eu aceitava bem a situação.

 

Uma certa noite o xicão perguntou-me se eu já tinha conhecido as casas de swing de SP e que queria que eu fosse com ele a uma casa de swing que costumava ir com uma amiga, fiquei um bocado atordoada com a ordem, já que ele nem me perguntou se eu queria ir mas como bem mandada que sou   não era esse o problema, já tinha ouvido falar das famosas casas de swing de SP e tinha até alguma curiosidade em saber como era, mas não pensava que aquele machão não se importasse de ver a gaija dele com outros homens, acedi sem me importar com esse facto era mais uma experiencia maluca para esta vossa amiga.

 


No dia seguinte telefonou-me para o emprego (coisa que odeio porque uma coisa é a vida depravada que levo fora do trabalho outra coisa era o meu trabalho) e disse-me para não vir muito tarde que íamos á casa de swing nessa noite porque havia uma festa e não podíamos perder, esqueci tudo e só lhe perguntei como deveria ir vestida (primeiro pensamento de loira lol) e ele disse-me que tinha de ir bem sexy, pensei logo nas coisas mais curtas que tinha . Durante o dia não me saía da cabeça a ideia de ir a uma casa de swing e por incrível que pareça excitou-me muito, esperei com ansiedade o fim do dia.

Como combinado de noite lá fomos para a casa de swing ia com as  mamas quase de fora e com uma saia menor que um cinto gosto de andar provocante mas nessa noite passei das marcas hehehe, quando chegámos fiquei um bocado desiludida pensava que era um sitio mais chique, e era um rés-do-chão que dava para uma cave com um ambiente de pouca luz com uns sofás um bocado fora de moda e um grande balcão bar que dava para uma pequena pista de dança tipo anos setenta cheia de bolas de espelhos e uma musica muito pirosa como eu costumo dizer música de ir ao cu lol, pensei que ainda deveria ser cedo porque havia poucos casais na sala e alguns homens sós junto ao bar, pensava que estas casas eram só para casais mas ele disse-me que normalmente é mas nesta casa podem entrar pessoas sós desde que sejam conhecidos na casa.
Fomos beber um copo coisa que ansiava porque com um copito a mais as coisas para mim eram mais fáceis lol, e ficamos a ver quem estava na sala, mais ao menos uma hora depois estava completamente cheio sem estar a abarrotar devido a muita gente que entrou e outras que vieram duma porta escura que havia no fundo da sala, indignada com o que seria perguntei-lhe o que era e ele respondeu-me que era a porta para outras salas e os quartos fiquei mais ansiosa e pedi mais um copo

 

O xicão via-se que era conhecido na casa, começou a conversar com outros casais e apresentar-me mas não sei se era por ainda estar nervosa mas nada me atraía até que o xicão convidou uma mulata para dançar e o acompanhante dela me convidou a mim para dançar fomos os quatro para a pista aquilo não era dançar era um embrenhar de mãos pelo corpo todo, fui toda apalpada, o meu par não me atraia por ai e alem era um quarentão sem grande aparência ao contrário da mulher que era um avião bem conduzida nas mãos do meu Xicão ao fim de pouco tempo combinámos ir para a outra sala mais privada aí só entravam casais apesar de no interior ainda ver alguns homens sós, nessa sala via-se de tudo gaijas a curtir com dois homens, dois gaijos com uma gaija, casais normais, de tudo. Fomos para um sofá de canto no fim da sala e fiquei sentada ao lado do xicão e do meu acompanhante com a mulher dele no outro lado, como o sofá era para três nós os quatro estávamos praticamente em cima uns dos outros, pedimos mais umas bebidas e o xicão entrou em acção curtindo com a mulata e comigo ao mesmo tempo, coisa que me agradou, tentei beijar a mulata mas pereceu-me que ela não estava a fim e não forcei ao mesmo tempo o homem dela metia-me as mãos nas pernas e subia quase até á cuequinha tentando-me puxar para ele mas estava bem naquele lambe lambe de três línguas mas ao fim de um pouco acedi a ele também, e tivemos os quatro naquilo durante algum tempo.

O xicão chamou o empregado e pediu um quarto para ele e a mulata sem que o marido se importasse com isso e deixou-me com o quarentão sem me deixar de dizer ao ouvido que só fazia o que queria sem ser obrigada a nada, ao que eu me senti mais segura porque não me apetecia ir foder com aquele homem apesar de estar bem naquele misto de ser apalpada (estava quase com as mamas de fora literalmente também não era preciso muito lol) e beijar, rapidamente ele me disse que queria ir também para o quarto, educadamente disse que apesar de estar com ele não queria mais nada fiquei surpreendida com aceitação dele sem questionar saiu e foi para outro lado, sem demorar muito tempo já estava á conversa com outro casal enquanto a mulher dele devia a estar a foder com o meu xicão, levantei-me e vaguei pela sala a ver as situações perversas que ali se passavam alguns homens tentavam meter conversa comigo usando sempre as mãos e roçando-se em mim até que lhes dizia educadamente que não estava a fim uns ainda tentavam dar volta outros desistiam logo sem antes passarem a mão pela minha bunda (devia ser moda lol), num canto da sala vi uma coisa que me enojou uma gaija já bem entrada (cinquentas e tais) com quatro gaijos de volta dela vi que estava a fazer sexo oral indiscriminadamente a quem se aproximava sem olhar só chupava tudo o que lhe metiam na boca não me enojou o facto de ela estar ali a mamar coisa que eu também gosto mas o facto de ser como se fosse um objecto pronto a abocanhar tudo o que mexia sem ver quem era e também sem se preocupar com as doenças que poderia apanhar ate que alguns gaijos tinham muito mau aspecto.

Aqui foi onde me aconteceu aquilo que me deu volta á cabeça, um dos gaijos veio ter comigo o típico gaijo que eu detesto, muito magro (odeio), de bigode (odeio), camisa meio aberta tipo chulo (odeio) e com ar de engatatão sem se ver ao espelho (odeio),e muito peludo (não me agrada) começou-me a tentar dar a volta com conversa tipo gaijo das barracas e tratar-me como um engate fácil que me fazia isto e aquilo, aquela conversa dava-me uma espécie de nojo e sem saber porquê excitou-me ao mesmo tempo e a conversa continuou, ainda tinha a berguilha aberta e puxou da pila para fora (como era magro a pila parecia o único sitio onde havia carne) e disse-me vc vai-me fazer uma chupeta vou gostar de sentir essa boca a mamar aqui, bébé e eu em vez de dizer que não queria só me ri o que lhe deu mais força para continuar e começou a passar a pila (ainda com marcas de batom da dondoca das mamadas) nas minhas pernas até que vi o segurança a vir ter comigo a dizer-me - este senhor está a incomodá-la madame -, eu sem saber porquê disse que não o que o fez sorrir e a continuar a tratar-me como um dado adquirido até mesmo como uma puta que estava louca por ele.

Abriu-me as pernas meteu-se em frente a mim com a pila na minha barriga a roçar-se e começou a meter me as mãos nas minhas mamas, estava sentada num banco alto de bar com um casal num lado nos meles e do outro lado um tarado que só olhava para mim e acariciava a pila como que a simular uma punheta sem nunca me ter dado uma palavra o que não me importava, mas estar ali a ser engatada com gente a ver não era uma situação que estivesse habituada o que me deixava menos á vontade mas tudo na boa (talvez o meu lado exibicionista a trabalhar lol), de repente ele beijou-me sem me dar tempo a recusar aquilo dava-me um misto de nojo com excitação coisa que nunca tive até hoje e vendo bem aquele homem fisicamente era o oposto do que eu gostava (se bem que tinha a parte de me subjugar ás suas vontades que gosto de sentir), e estava eu ali a beijar um homem que me dava nojo, seria a maneira como me tratou que me excitou? não sei, só sei que estava a curtir e não fazia nada para acabar com isso aquele homem que se eu o visse aqui na rua era capaz de olhar pró lado ou mesmo afastar-me para ele não me tocar ou passar perto que ainda por cima tinha quase idade para ser meu pai estava a abusar de mim com o meu consentimento.

Depois de estar naquilo durante um tempo disse-me - manda vir o empregado e paga uma cabine para nós - eu disse que não mas que toda a gente via que não convencia ninguém, chamou ele o empregado e disse que eu queria uma cabine ao que o empregado acedeu e pediu-me o cartão e eu como que drogada apenas fui buscar a carteira e dei-lhe.

 

- Assim mesmo sua Putinha. Disse ele
 

- Vc vai ver o que é bom, vou comer vc todinha.
- vc vai suplicar que eu te foda cada vez mais.
- no fim vou dar-te para o viadão do seu marido para ele ver o estrago. Riu-se

 

Continuou assim com esta conversa porca sem saber se eu gostava ou não, devia fazer isso a todas se gostassem gostavam se não partia para outra e ali vítimas era o que não faltava, era o típico macho dominante que gostava de humilhar e como eu nunca o fiz parar era porque gostava o que lhe dava cada vez mais força.

Naquele roça roça em frente ao bar enquanto o empregado não vinha com a toalha e a chave da cabine puxou-me a mão e obrigou-me a punhetar enquanto me continuava a beijar, já estava bem duro e tive medo que ele se viesse ali, mas não manteve-se firme.
Quando o empregado nos fez sinal que estava tudo pronto com a cabine ele me fez levantar e de pau duro colocou-se por de trás de mim levantou-me um pouco a saia e colocou a pila no meio das minhas nádegas, como tinha fio dental aquilo encaixou na perfeição fazendo eu força com as nádegas para que aquele rolo de carne latejante não saísse do lugar , naquela posição segredou-me ao ouvido, - Agora vou-te foder como tu gostas minha puta – apenas acenei com a cabeça sem dizer nada (devo dizer que naquela altura estava num estado de excitação tão grande que fazia tudo o que ele me mandasse ). Encaminhou-me para a zona bem escura de acesso às cabines onde devia ser a zona preferida dos amantes de S&M porque vi gaijos com coleiras a passear pelo corredor, a cabine era mesma mínima só tinha espaço para a cama e um lavatório as únicas palavras que proferi foi que queria tudo com camisinha, facto que ele acedeu. Fiz tudo o que ele lhe apetecia desde oral a vaginal só não dei o meu cuzinho porque tive medo que me aleijasse (anal é raro fazer sem conhecer bem o meu parceiro), comeu-me com violência e sempre com palavras porcas que me davam cada vez mais tesão foi como um objecto de prazer que ele me usou mas ao mesmo tempo me senti bem por ter dado e receber prazer daquele homem porco que me enojava e ao mesmo tempo me excitava. Quando acabou o estado de excitação foi como um voltar à realidade só queria sair dali envergonhada com o que acabava de fazer e ver aquele sorriso cínico naquele homem porco a cheirar suor que me tinha dado prazer mais raiva me dava (agora percebo o conceito que atrai muitas mulheres dos homens feios porcos e maus). Encontrei o Xicão no Bar e só pedi para me ir embora, ele perguntou o que se sucedeu ao que disse que não me fizeram mal eu é que já não estava a fim de estar ali, ele ainda demorou a ir-se embora o que me deu tempo de me acalmar e pensar que não fiz nada de mal, se até gostei não poderia recriminar os meus gostos mas sim aceitá-los sem pudor. Quando o Xicão se resolveu ir embora quando ia a sair senti uma mão a puxar-me, era o velho sebento :), sem problemas fui eu que o beijei de língua à frente do xicão e agradeci, o xicão só se ria e disse-me mais tarde que ele já era conhecido na casa e que já tinha arranjado muitos problemas lá porque muitas gaijas não gostavam o que ele fazia e queixavam-se á segurança mas por incrível que possa parecer ele facturava muito com o seu estilo o que me deixou mais à vontade.


Este episódio marcou-me porque não entendi a minha cabeça porque será que aquilo que me possa parecer detestável pode ao mesmo tempo ter um sentimento de atracção????
Esta cabeça deveria ser o máximo para os psicólogos explorarem visto ser tão complexa

 

Conclusões

 

- Adoro sexo

- Quero voltar a fazer swing

- Sou uma tarada

- gosto de ser usada

- gosto de sexo à bruta

- gosto de dirty talk

- gosto de ter um "dono"

- não gosto de nada disto fora da cama

- Quero um homem que me entenda

....

 

E prontos desabafei, ufa

publicado por Suzy às 20:09
sinto-me: sem dores na consciencia
música: de ir ai cu

05
Out 08

 

A Ju é uma loura toda boazona ;), alta, olhos verdes, com um look desportivo mas provocante, tipo calças Levis justinhas e t-shirt curtinhas com um peito bem fornecido, na altura tinha 22 anos, mais velha que eu e o resto do pessoal, ela tinha ido nesta viagem não por ser aluna do colégio mas como acompanhante de uma das alunas, para curtir ao máximo e para esquecer um ex-namorado da altura disse-me ela mais tarde. Foi com ela que fiz coisas que na altura ainda nem tinha pensado e me arrastou no “viver a vida ao máximo sem nos prender enquanto pudermos” como ela dizia.
Sinceramente na altura nunca a vi como um interesse sexual ou algo do género, nem nunca tinha tido atracão pelo mesmo sexo (era algo que me passava ao lado), mas como inveja do que ela era, não que eu fosse algo de deitar fora mas eu era muito mais introvertida e menos vivida que ela, além de ela ter sempre tudo á volta dela o que me provocava inveja por não conseguir ser assim, ou seja uma líder nata.
 
Depois do choque inicial do nosso encontro na sala do discjokey (o Paco), os rapazes agiam como se fosse natural estarem dois casais, um em trajes íntimos (a Ju que tinha colocado a cuequinha e ele continuava nu) e os 2 outros acabados de chegar. Entrei também na conversa numa naturalidade que até a mim me assustava ;) (mas o álcool tem este efeito também) no meio da conversa o Paço começa a enrolar um charro que fumámos com mais algumas cervezas, a noite estava a acabar e o dia a começar. No meio de mais um charro o engate da Ju (o Manuel) começa a puxá-la para baixo em direcção ao colo como se estivessem sozinhos, mas continuando a conversar na boa com o charro sempre a passar, enquanto que vi a Ju sem resistência começar a chupar sem se importar com a assistência, quando o charro me veio parar a mim recusei (já me sentia um pouco pedrada e não queria perder o controlo da situação) resolvi passá-lo à Ju que interrompeu a mamada e acabou o charro.
 
Como estava sentada ao lado deles no sofá o Manuel pedrado e excitado, já com uma a chupá-lo queria mais uma começou a meter a mão por cima dos meu ombros e a apalpar-me, não sei porquê mas deixei até ele começar a querer tirar-me a blusa, aí recusei não estava preparada para bacanais ;)   (mas era esse o objectivo deles) mas no entanto deixei-o beijar-me com o Paço assistir, ainda pensei que era maluco e gostava de observar, mas rapidamente me enganei, ele veio por traz de mim e começou-me a despir, aí já deixei mas sempre no marmelanço com o Manuel, pediu-me para trocar de lugar com ele e sentou-se ao lado do Manuel, baixou as calças e meteu-me a mim de joelhos ao lado da Ju, enquanto eles conversavam e se riam nós mamávamos ;). Vieram mais dois charros um para eles outros para as meninas por razões óbvias ;). Ainda tentaram que nós as duas trocássemos de lugar mas eu sempre recusei, acho que pela Ju alinhava em tudo ;)).
Como só havia um quarto e era do Paco ele levou-me para o quarto enquanto que eles ficaram com o sofá.
Quando já estávamos prontos para a acção ele tentou pôr-se em mim, mas não deixei sem preservativo (depois da conversa com os meus pais na semana antes pela primeira vez sobre sexo, fiquei consciente quanto ao uso do preservativo, coisa que realmente não estava, pensava unicamente na gravidez, meninas/os que leiam isto usem sempre preservativo pela vossa saúde, felizmente tinha pais com uma mente aberta em relação ao sexo e a outras coisas mas muita gente não têm esta ajuda principalmente no inicio da vida sexual)
ele ficou fulo e vascolhou nas gavetas e nada foi ter com o manuel e nada não havia mais, discutimos e ameacei ir-me embora por muito que quisesse ter sexo não ia arriscar por fim ele lá concordou e ficamos só pelos beijinhos e sexo oral mas quando se veio adormeceu instantaneamente (homens grrr), pensando na Ana e no resto do pessoal que já se devia estar a preparar para ir tomar o pequeno almoço e não queria ser descoberta que não dormi no quarto resolvi ir-me embora , mas antes pensei na Ju que devia estar na mesma situação e fui ter com ela á sala, estavam os dois a dormir e acordei a Ju ajudei-a a vestir-se e obriguei-a a ir lavar a cara com água fria porque estava ainda um bocado mal ;). Chegámos ao hotel e dei logo com a Ana que estava na sala do pequeno almoço estava com uma cara que me batia se pudesse deu-me um sermão como se fosse minha mãe realmente ela era muito mais responsável que eu mas…, a Ju tava na boa comia como uma doida e só se ria, que me contagiava ;): A Ana disse-me que o quarto ia ficar com umas colegas e que não dava para eu dormir mas a ressaca era grande e a directa não ajudava combinei com a Ju ir dormir com ela no quarto individual dela…
 
Continua
publicado por Suzy às 21:59
sinto-me: ressacada

WORLD CLOCK
De onde leram este blog
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Contador
Free Hit Counters
Free Counter
Recados Para Orkut

Quantos estão a ler
mais sobre mim
I'M A BARBIE GIRL ;)
recados para orkut

Devaneios Linkados
recados para orkut


blogs SAPO