A auto-biografia de uma adolescente que se tornou mulher e que conta a todos a sua vida promiscua desde que descobriu essa coisa tão boa que é o SEXO. ESTE BLOG NÃO É ACONSELHÁVEL A PESSOAS COM MENTE RETRÓGRADA OU RACISTAS

08
Nov 08

 

Olá a todos já estava com saudades vossas e vocês não?
hummmmmmmm não acredito hehehe
 
Depois de umas semanas óptimas que deu para limpar a cabeça e encarar o resto do ano que falta com outra motivação, realmente andava esgotada, porque preciso de desligar de tudo de vez em quando para que o meu rendimento tanto no trabalho como no dia a dia seja o melhor pelo menos comigo é assim.
 
A JU convidou-me a ir passar uns dias com ela na Austria onde está a trabalhar á cerca de um ano. 
A nossa relação deteriorou-se um pouco antes de ela aceitar uma proposta de emprego para o estrangeiro, um pouco por culpa minha pelo meu egoísmo de pensar só em mim e pouco nela (mas custava-me muito abandonar a pessoa que dividia a casa comigo, os meus problemas, as minhas alegrias, a minha amante escondida de tudo e de todos aquela que amava de verdade), na altura separamo-nos zangadas e nem lhe disse adeus, mas passados uns meses caí em mim e aceitei a situação, tínhamos de seguir as nossas vidas e rapidamente nos entendemos outra vez apesar da distância, e esta foi a primeira vez que a vi depois disso.
 
Ela esperou-me no aeroporto, quando a vi foi uma alegria imensa abracei-a, rimo-nos chorámos, pulámos parecíamos umas miúdas pequenas aos olhos daqueles austríacos frios que até parece que não têm sentimentos :), sem ser surpresa minha, ela não vinha só, atrelada a ela vinha um latagão de um alemão com quem ela estava a viver (não perde tempo  lol), e ao ouvido segredou-me, ele não nos vai incomodar vai para o hotel como combinámos. 
E assim fiz recusei a oferta dele para ficar no apartamento deles e fui para o hotel que já tinha reservado pela net, a ideia da JU que concordei era que no apartamento não tínhamos privacidade que queríamos ter, visto que ele não sabia nada do nosso relacionamento.
 Como já era tarde fomos jantar os três a um restaurante antes de me levarem ao hotel, na cabeça da JU já estava tudo programado ele tinha de ir trabalhar segundo ela me disse ele tinha negócios na noite, e nem quis saber de mais nada sobre a vida deles, que tipo de negócios eram e que vida ela estava a levar, numa altura disse-me que ainda iria ver fotos dela na net porque tinha feito uma sessão fotográfica para uns gaijos, mas como ela é louca não quero saber de mais nada :).
Chegadas ao hotel fiz o check in e fomos as duas para o quarto estávamos tão excitadas que nem deu tempo de fechar a porta do quarto, beijámo-nos loucamente encostou-me contra a parede e começou-me a apalpar a tirar a roupa a beijar-me as mamas, estávamos que nem loucas até que ouvi barulho no corredor e reparei que a porta ainda estava aberta e apressei-me a ir fecha-la ainda meia despida e com as pessoas a passarem mesmo pela frente do quarto, de certeza que viram alguma coisa mas não nos importámos rimos que nem malucas e continuámos o que estávamos a fazer sem saber do barulho, atirei-a para a cama e despia completamente, com aquele corpo lindo ali á minha disposição mamei agora eu naquelas mamas até ela estar doida, até que ela me obrigou a fazer um minete que me fez lembrar o cheiro o sabor a textura daquele sexo que eu adorava, quando ela se veio invertemos os papeis vi-me também mais de uma vez conhecíamo-nos muito bem ao nível sexual e era fácil dar prazer uma á outra muito rapidamente, estivemos naquela cama durante horas :) até á altura que o latagão a vinha buscar :(.
Os dias passaram-se ora na cama do meu hotel ora a passear pelas ruas de viena durante o dia enquanto ela trabalhava.  
 
 
 
 
 
Na ultima semana a JU tirou a semana de férias para me levar a Budapeste e para estar-mos mesmo sós porque ele não viria era só nós as duas como antigamente (nunca tive ciúmes das relações da JU porque a nossa relação era de estarmos juntas quando nos apetecia sem exclusividade, cada uma de nós tínhamos os nossos engates e não interferia nada com o que tínhamos). Em Budapeste passeámos muito, fodemos juntas como se de um casal se tratasse, e uma das noites combinámos que iríamos para a noite, curtir e para o engate como nos velhos tempos, para um bar que ela já conhecia e que tinha lá um conhecido que eu iria adorar era a prenda dela :)))) (a puta ;) já conhecia tudo).
  Nessa noite lá fomos para esse bar, era numa cave muito underground, o ambiente era agradável, muitos gaijos e gaijas louras tipicamente Húngaras que para mim não eram nada bonitas comparadas com as Austríacas, a JU parecia que estava em casa conhecia muitas pessoas, disse-me ela que que vinha muito a budapeste com o latagão e conhecia muito bem a noite de Budapeste e aquele bar era onde podíamos estar á vontade, reparei o que ela queria dizer quando vi dois gaijos atracados nos meles ou seja era um bar não exclusivamente Gay mas que era frequentado pelo meio Gay lá do sitio, pareceu-me bem assim podia estar com ela na boa, dançamos beijamo-nos, curtimos em plena pista de dança  sem ninguém se importar, e a meio da noite já estávamos bem bebidas graças a uma bebida que ela me obrigou a beber que era detestável mas que eu não conseguia parar de beber ;), o UNICUM, graças a ele a meio da noite na nossa mesa estavam um casal húngaro com quem nos entretemos, ora com um ora com outra hehehe mas eles ainda estavam piores que nós e fartámo-nos eu queria mais de que uns linguados e apalpões e eles não me estavam a dar pica. Depois de um tempo já estava quase a acabar a noite a JU veio histérica ter comigo, 
 
- A tua prenda chegou
- Qual prenda tás bêbeda ou quê
- o meu amigo que te falei
- ahhhhhhhh ok, espero que seja melhor que estes trols
- não sejas parva anda que não te arrependes
 
Levou-me pela mão de encontro com um negão americano com 2m tipo jogador de basket, que me encheu as medidas, ela sabia o que eu gostava ;)
 
 
- Não me digas por favor que é gay
- heheheeh dá para os dois lados
- queres ou não??
- se quero? claroooooo
 
Ele quando viu a JU agarrou-se logo a ela com a mão no cu dela e deu-lhe um beijo na boca via-se que eles já tinham se comido mais que uma vez hehehe, ouvi-a perguntar-lhe se ele vinha sozinho ao que ele respondeu que sim e que tinha uma amiga que o queria conhecer se ele queria, novamente disse que sim e dirigiram-se a mim.
A JU apresentou-me e ele ficou parado a mirar-me dos pés á cabeça como que a aprovar a peça ;)))) 
- hello baby - disse ele
Fiquei logo derretida com aquele monte de carne bem fornecida e de voz rouca e sexy respondi e coloquei-me quase em bicos de pés para lhe dar um beijo, ele agarrou-me pela cintura que até estremeci lol.
Ficámos os 3 na conversa junto ao bar, durante um tempo, eu estava doida sem aguentar mais dei-lhe a mão como que a oferecer-me a ele. Sem dizer uma palavra afastei-lhe as pernas para me colocar sentada entre as pernas de costas para ele, agarrou-me mais contra ele meteu-ma as mãos na barriga subindo até ás minhas mamas e puxando-me o cabelo para me beijar enquanto a JU estava ao lado dele com as mãos nos ombros dele a observar a cena, quando se fartou de me beijar puxou a JU enquanto me apalpava, ficámos naquilo até o bar fechar. 
No fim pedi-lhe com o meu ar submisso que adoro quase por favor, para ir para o meu hotel, disse que sim mas antes para lhe pagar uma bebida no bar do hotel
- Oh amor pago-te tudo o que quiseres até te pago para me foderes - disse eu em Português o que pôs a JU a rir-se, tive que traduzir para ele não ficar desconfiado, sem me importar.
Fomos para o bar do hotel, em que ele comeu e bebeu tudo o que quis á nossa conta, quando já estava satisfeito pegou em nós e disse em voz alta para o empregado que estava na hora de nos foder, o empregado riu-se e deu-me a chave do quarto.
Fomos como duas putas ordeiras na frente dele com ele dar-nos palmadas no cu, como estava num sitio onde ninguém me conhecia e gosto de dar uma de puta na frente dos outros não me importei antes pelo contrário e o álcool naquela altura era pouco mas ainda falava ;))))))
Chegadas ao quarto ele continuou numa de dominador e vendo que eu gostava ainda fazia pior, ordenava para eu lhe tirar o casaco a t-Shirt as calças e eu obedecia a tudo que ele me ordenava, a JU deitou-se na cama e ficou só a ver queria que eu curtisse todos os momentos ele era todo para mim, com aquele negro delicioso nú á minha frente só queria saltar para cima dele mas ele, mas ele não me deixou, obrigando-me a esperar só quando ele mandasse e começou a beijar a JU e a despi-la e eu como um cãozinho á espera do osso tive que me aguentar até o dono me dar ordem de comer ;), quando ele viu que estava na altura ordenou-me que lhe fizesse um broche, mamei com todo o gosto aquele pau que a JU já o tinha posto no ponto, enquanto ele me chamava de puta , vaca etc... coisa que me excitava cada vez mais, quando quis mandou-me deitar para me foder, e fodeu-me de frente, de lado, de gatas com palmadas pelo meio no meu cu (parece que sabia tudo o que eu gostava) no fim disse que ia comer o meu cu á força, fiz o papel de que não queria mas queria mesmo lol, a JU colocou lubrificante no meu cu e aquele pau negro entrou com alguma resistência, comeu o meu cu até não poder mais e veio-se nas minhas costas.
Ficámos agarrados durante um bocado a rir sem saber do quê, a noite/manhã acabou com um bom menage á trois e dormimos os três até á hora do almoço, quando ele se teve de ir embora sem que antes lhe tenhamos feito um broche a duas bocas, antes de ir embora disse que lhe tinha de pagar a noite como lhe tinha dito no principio da noite, e dei-lhe o dinheiro que tinha na carteira ;))))
No fim disse á JU que era incrível que ele fez tudo aquilo que eu mais adoro, fez-me de puta de submissa comeu-me como eu gosto acabou no cuzinho e ainda paguei, e ela disse-me era a tua prenda e queria que tu adorasses por isso fiz briefing antes com ele sem tu saberes hehehehe
Foram umas semanas do melhor só é pena ter acabado mas logo logo vou estar com ela outra vez
 
 

 

 

 

 

publicado por Suzy às 19:13
sinto-me: Com pilhas novas

01
Out 08

A viagem dos meus sonhos na altura estava quase a começar, era a primeira vez que saía sem os meus pais para o estrangeiro como era lógico a euforia era imensa. Na noite anterior á viagem praticamente nem dormimos eu e a minha colega, a Ana que ficou em minha casa e seria também a minha colega de quarto.
Depois de uma data de horas de autocarro chegámos finalmente a Benidorm, lembro-me que já ía bem bebida graças a garrafas de álcool que se tinham infiltrado no autocarro ;) estava tudo eufórico até aqueles mais betinhos se libertavam, todos não, só um grupo pequeno de meninas bem comportadas não se rendeu aos prazeres do álcool (seriam a nossa consciência ao longo dos dias). Ficámos instalados num hotel perto da praia cheio de pessoal novo de várias escolas entre elas uns portugueses dum colégio do norte e outros de Lisboa. Foi aí que conheci a JU ela era do colégio de Lisboa, como era lógico os portugueses juntaram-se logo em apresentações e a partilhar o álcool que ainda sobrava. O primeiro contacto com a Ju não foi de simpatia isto porque ela era o centro de atenções dos rapazes e como eu estava habituada a estar no lugar dela senti como que uma certa rivalidade entre nós.
A malta estava desejosa por dar uns mergulhos, beber unas cervezas e dar uma volta de reconhecimento.
O tempo voava, tudo acontecia de uma forma divertida, quando deram conta estavam no restaurante do Pablo a jantar. O álcool invadia as veias e o fumo os pulmões de jovens que como eu começavam a sentir a liberdade pela primeira vez , a Ana tinha bebido pouco, mas no entanto já se sentia-se desinibida como nunca a tinha visto, aquilo prometia :)
Nessa noite havia uma festa de recepção aos portugueses numa discoteca perto do hotel e combinámos todos ir, e eu já com uma alegria fora do normal comecei na picardia com a Ju (e ela comigo), quem tinha de ser a rainha da noite era eu e aquela pindérica estava-me a ofuscar o brilho ;)))))) grrrrrrrrrr cabra ;(
 
Com o meu poder de sedução nato :D  tentava sempre dar em cima de todos que se aproximavam dela mesmo que não tivesse interesse neles (podem me chamar má mas era o álcool a funcionar e a parvoíce). A meio da noite a Ju tinha desaparecido (a cabra ganhou-me) e tentei saber dela mas só soube que a viram estar com um espanhol junto á piscina e depois desapareceu grrrrrr. A Ana percebendo-se da guerra chamou-me á razão e não me deixou beber mais (as amigas servem para isso né) e esqueci a Ju e comecei a curtir a noite, e a centrar atenções no disc-jockey, um espanhol tipo cigano que era um pão ;)))
 
ele apercebendo-se do meu interesse (e de mais umas tantas pitas doidas ;)) começou-me a oferecer bebidas e atirando o seu charme para cima de mim (não precisou de se esforçar muito ;)) e com a pratica que devia ter em engatar meninas novas na minha situação, consegiu (todas as semanas chegam a benidorm dezenas de excursões de jovens á procura de loucura livres que nem uns passarinhos dos papás imaginem a dificuldade que estes gaijos teriam “caçarem” gaijas todas as noites), no fim da noite convidou-me para ir até ao apartamento dele acabar a noite, através do efeito desinibidor do álcool e a sensação de novidade que estava a passar nem me fiz difícil concordei logo, sem pensar no perigo ou de qualquer outra coisa, mas ainda tentei que a Ana viesse connosco mas ele deu-me a volta e lá despachei a Ana para o quarto sozinha, saímos da discoteca os dois, o apartamento dele era a dois quarteirões de distância mas ainda deu para curtir com ele no meio da rua com grupos a passar sem se importar connosco, aquilo ás 5h da manhã  parecia hora de ponta tudo doido ;), já no ponto fui eu que lhe pedi para me levar para o apartamento e lá fomos nós, quando chegamos á porta ele avisou-me que dividia o apartamento com um amigo mas que não havia problema com ele, Entramos e fomos direito á sala a luz estava acesa era sinal que tinha-mos companhia ;( quando não foi o meu espanto que vi dois corpos nus no sofá, fiquei vermelha de vergonha, mas eles na boa cumprimentaram-se e o meu espanto foi maior quando a vi a gaija que estava com ele………
 
 
 
a Ju, ela ficou tão envergonhada como eu quando nos viu (mas eu estava vestida e ela nua lol) olhámos uma para a outra e desatámos a rir ehehe (a guerra tinha acabado agora só podia haver paz e amor lol) e como se não se passasse nada apresentámo-nos todos. O dia estava a nascer…….
 
Continua
publicado por Suzy às 01:30
sinto-me: Com 18 anos

10
Set 08

 

 
Depois daquele verão veio o meu primeiro desgosto de amor, como era de esperar o meu namorado deu-me com os pés quando acabou o verão.
Chorei muito por aquele cabrão pensava eu que ele ia continuar comigo (estúpida, ingénua) devido á diferença de idades e mentalidade dele aquilo foi uma curte de verão, mas rapidamente me passou devido á ajuda da minha amiga, nas férias do natal já coleccionava mais um. Mais uma vez muito mais velho que eu, um metaleiro de cabelos loiros compridos tatuado  (onda pesada), como eu gostava, o Jorge.
 
 
 
Para mim era o tipo de homem que me atraía, sempre me atraiu, não o tipo de menino bem arranjado todo bonitinho, mas sim o de aspecto desmazelado calças rotas, cabelos compridos (ainda hoje não gosto muito do típico gajo bonzão todo na moda) os chamados más companhias J. Rapidamente me integrei no grupo dele, comecei a fumar beber e fumar ganzas, como teenager estava na minha idade estúpida, todos nós passamos por isso acho eu, sentia-me bem era a gaija o chefe do bando ;) todos me defendiam dentro do grupo alem de ser a 1ª dama hehehe, eu sabia que ele me enganava as outras gaijas todas queriam andar com ele e quando lhe mostrava a minha desconfiança dava-me sempre a volta (o típico cabrão, atrai-me isso o que é quq querem que eu façaJ ) com desculpas e eu acreditava sempre (ou gostava de acreditar), ele sabia que eu era virgem e só curtíamos  e no máximo uns broches, mas tentava sempre dar-me a volta para me desflorar (palavra tão foleira), e se eu queria J mas tinha receio. Na passagem de ano desse ano combinamos todos passar o ano na casa de um do grupo que os pais deixaram sozinho em casa, tínhamos uma vivenda toda para nós. Éramos uns trinta, a barra pesada toda junta da zona com muito álcool muita droga, a meio da noite muitos já estavam a dormir onde calhava e outros curtiam (como nós) meio da sala, porque os quartos estavam todos ocupados  ;). Resolvemos ir para a zona da piscina e deitamo-nos nas cadeiras a falar quando um casal veio para a relva começou a foder ali mesmo, aquilo excitou-me e ganhei coragem e disse-lhe vai arranjar um quarto quero foder hoje, ele espantado perguntou se queria mesmo todo aparvalhado ;) levantou-se e foi falar com o dono da casa enquanto isso fiquei ali só a olhar para aquele casal. Quando voltou só me deu a mão e eu acompanhei-o.
 
 
 
 
Foi super carinhoso e preocupado comigo mostrou uma faceta que eu não conhecia dele, acho até que fui eu que o fodi e não ele a mim ;) passamos o resto da noite e parte do dia no quarto, tinha fodido pela primeira não foi aquilo que eu esperava mas foi o que eu quis naquela altura e estava feliz.  
 
 
 
Depois disso a relação começou a esfriar da parte dele até que mais uma vez fui deixada, aí sim tive uma grande depressão e jurei que nunca mais ia sofrer por mais nenhum gaijo, mas hoje penso que foi o melhor, a vida que podia levar podia não ser a melhor, nunca mais fumei ganzas como fumava e o álcool tenho uma relação normal com ele (umas bezanas raramente mas nada mais), só o tabaco continuou e o sexo passou a fazer parte da minha vida.
 

publicado por Suzy às 00:49
sinto-me: mulher

WORLD CLOCK
De onde leram este blog
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
Devaneios Linkados
blogs SAPO