A auto-biografia de uma adolescente que se tornou mulher e que conta a todos a sua vida promiscua desde que descobriu essa coisa tão boa que é o SEXO. ESTE BLOG NÃO É ACONSELHÁVEL A PESSOAS COM MENTE RETRÓGRADA OU RACISTAS

10
Set 08

 

 
Depois daquele verão veio o meu primeiro desgosto de amor, como era de esperar o meu namorado deu-me com os pés quando acabou o verão.
Chorei muito por aquele cabrão pensava eu que ele ia continuar comigo (estúpida, ingénua) devido á diferença de idades e mentalidade dele aquilo foi uma curte de verão, mas rapidamente me passou devido á ajuda da minha amiga, nas férias do natal já coleccionava mais um. Mais uma vez muito mais velho que eu, um metaleiro de cabelos loiros compridos tatuado  (onda pesada), como eu gostava, o Jorge.
 
 
 
Para mim era o tipo de homem que me atraía, sempre me atraiu, não o tipo de menino bem arranjado todo bonitinho, mas sim o de aspecto desmazelado calças rotas, cabelos compridos (ainda hoje não gosto muito do típico gajo bonzão todo na moda) os chamados más companhias J. Rapidamente me integrei no grupo dele, comecei a fumar beber e fumar ganzas, como teenager estava na minha idade estúpida, todos nós passamos por isso acho eu, sentia-me bem era a gaija o chefe do bando ;) todos me defendiam dentro do grupo alem de ser a 1ª dama hehehe, eu sabia que ele me enganava as outras gaijas todas queriam andar com ele e quando lhe mostrava a minha desconfiança dava-me sempre a volta (o típico cabrão, atrai-me isso o que é quq querem que eu façaJ ) com desculpas e eu acreditava sempre (ou gostava de acreditar), ele sabia que eu era virgem e só curtíamos  e no máximo uns broches, mas tentava sempre dar-me a volta para me desflorar (palavra tão foleira), e se eu queria J mas tinha receio. Na passagem de ano desse ano combinamos todos passar o ano na casa de um do grupo que os pais deixaram sozinho em casa, tínhamos uma vivenda toda para nós. Éramos uns trinta, a barra pesada toda junta da zona com muito álcool muita droga, a meio da noite muitos já estavam a dormir onde calhava e outros curtiam (como nós) meio da sala, porque os quartos estavam todos ocupados  ;). Resolvemos ir para a zona da piscina e deitamo-nos nas cadeiras a falar quando um casal veio para a relva começou a foder ali mesmo, aquilo excitou-me e ganhei coragem e disse-lhe vai arranjar um quarto quero foder hoje, ele espantado perguntou se queria mesmo todo aparvalhado ;) levantou-se e foi falar com o dono da casa enquanto isso fiquei ali só a olhar para aquele casal. Quando voltou só me deu a mão e eu acompanhei-o.
 
 
 
 
Foi super carinhoso e preocupado comigo mostrou uma faceta que eu não conhecia dele, acho até que fui eu que o fodi e não ele a mim ;) passamos o resto da noite e parte do dia no quarto, tinha fodido pela primeira não foi aquilo que eu esperava mas foi o que eu quis naquela altura e estava feliz.  
 
 
 
Depois disso a relação começou a esfriar da parte dele até que mais uma vez fui deixada, aí sim tive uma grande depressão e jurei que nunca mais ia sofrer por mais nenhum gaijo, mas hoje penso que foi o melhor, a vida que podia levar podia não ser a melhor, nunca mais fumei ganzas como fumava e o álcool tenho uma relação normal com ele (umas bezanas raramente mas nada mais), só o tabaco continuou e o sexo passou a fazer parte da minha vida.
 

publicado por Suzy às 00:49
sinto-me: mulher

Caro Cn,

O sexo com uma mulher..não é sexo, é puro amor.A mulher como sendo um ser mais sensível e como conhece o seu corpo, sabe os pontos onde deve tocar para dar puro prazer à outra.
Atenção, não estou a dizer que sexo com um homem não é bom, e realmente há homens e homens, e aqueles que conheci eram meigos, extramamente atenciosos, carinhos, dedicados, meigos e tudo isso, mas não conseguem deixar de olhar para o sexo como sendo algo carnal.
O toque da mulher é diferente, a sensualidade femenina é elevada ao seu expoente máximo, há outra dedicação, a mulher tem sempre a preocupação da parceira estar a sentir prazer.
O beijo da mulher...bem,nada tem a ver com a barba, nem com a pele, mas sim com o sabor, com o desejo e com o amor que é empregue.
Em relação a vibradores e brinquedos sexuais utilizados pelas mulheres no sexo...bem, são acessórios, há quem goste, há quem não goste, assim como os casais hetero também os utilizam, certo? não tou a entender qual era o ponto que queria focar...queria dizer que as mulheres não conseguem dar prazer à outra? está completamente enganado.
E para terminar, concordo inteiramente com o diálogo entre parceiros sexuais, e não só..tá claro, mas também mais uma vez digo, consegue-se ter uma conversa franca com uma parceira sem ferir o chamado "ego", e dizer aquilo que gostamos mais, do que com um homem...
e já agora...os homens conseguem ser egoístas na cama...já uma mulher não é assim. (atenção, não estou a dizer que sejam todos assim).
kris a 10 de Setembro de 2008 às 14:37

Kris, contra factos não há argumentos...
Calo-me.
Obrigado pela sua explicação.
Vivendo e aprendendo...
CN a 10 de Setembro de 2008 às 18:23

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

15
16
17
19
20

21
22
24
25
26
27

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
Devaneios Linkados
blogs SAPO